ingresso sede

RELATÓRIO DE DEMONSTRAÇÕES FINANCEIRAS SEPARADAS E CONSOLIDADAS EM 30 DE JUNHO DE 2022 | RENOVAÇÃO DO CONSELHO DE ADMINISTRAÇÃO

SHARE
RELATÓRIO DE DEMONSTRAÇÕES FINANCEIRAS SEPARADAS E CONSOLIDADAS EM 30 DE JUNHO DE 2022 | RENOVAÇÃO DO CONSELHO DE ADMINISTRAÇÃO
RELATÓRIO DE DEMONSTRAÇÕES FINANCEIRAS SEPARADAS E CONSOLIDADAS EM 30 DE JUNHO DE 2022 | RENOVAÇÃO DO CONSELHO DE ADMINISTRAÇÃO
RELATÓRIO DE DEMONSTRAÇÕES FINANCEIRAS SEPARADAS E CONSOLIDADAS EM 30 DE JUNHO DE 2022 | RENOVAÇÃO DO CONSELHO DE ADMINISTRAÇÃO

Turim, 28 de novembro de 2022 - O Conselho de Administração da Juventus Football Club S.p.A. (a “Empresa” ou “Juventus”), que se reuniu sob a presidência de Andrea Agnelli, obteve novos pareceres jurídicos e contábeis dos peritos independentes designados para avaliar as questões levantadas pelo Consob nos termos do art. 154-ter TUF sobre as demonstrações financeiras da empresa em 30 de junho de 2021, analisou novamente as alegações indicadas pelo Ministério Público do Tribunal de Turim, as deficiências e questões críticas observadas pelo Consob e as qualificações levantadas pela Deloitte & Touche S.p.A., Juventus ' auditor independente.

Relativamente às questões chamadas “manobras salariais” (“manovre stipendi”) dos exercícios 2019/2020 e 2020/2021, o Conselho de Administração reconheceu a complexidade de tais perfis sobre os elementos valorimétricos que podem estar sujeitos a diferentes interpretações sobre a contabilidade aplicável​​ e cuidadosamente considerados possíveis tratamentos alternativos.

Como resultado de tais análises e avaliações globais, enquanto o tratamento contábil adotado estiver dentro dos permitidos pelos princípios contábeis aplicáveis, para aumentar a prudência a Companhia:

- Em primeiro lugar, resolveu-se rever por via de aumento a estimativa de probabilidade de ocorrência das condições de permanência na Equipe para aqueles jogadores que renunciaram a parte dos seus salários no biénio 2019/20-2020/21 e com quem aumentaram ou “fidelidade” bonificações” foram posteriormente concluídas (em julho/agosto de 2020 para a primeira chamada “manobra salarial” e em setembro de 2021 para a segunda chamada “manobra salarial”, respectivamente);

- com base nas referidas possibilidades de adoção de metodologias contabilísticas alternativas legítimas, avaliadas para efetuar uma provisão pro rata temporis dos custos relativos aos aumentos salariais de julho/agosto de 2020 (para a primeira chamada “manobra salarial”) e aos chamados "bônus de fidelidade" de setembro de 2021 (pela segunda chamada "manobra salarial") a partir da data mais antiga de uma chamada obrigação construtiva entre aquelas contempladas pelos peritos independentes (e, portanto, respectivamente, de junho de 2020 e maio de 2021).-

As revisões de estimativas e pressupostos acima referidas conduzem assim a uma revisão das estimativas dos acréscimos em finais de junho de 2020, final de junho de 2021 e final de junho de 2022, como efeito dos aumentos salariais efetuados em julho/agosto de 2020 e o “bônus de fidelidade” celebrado em setembro de 2021, em razão do provisionamento pro rata temporis, conforme a chamada “abordagem linear” (que é uma das abordagens permitidas pelos princípios contábeis), a partir, respectivamente, de junho 2020 e maio de 2021; os efeitos substancialmente nulos nos fluxos de caixa e na dívida financeira líquida, tanto nos exercícios anteriores como no exercício findo e nos exercícios futuros e não são relevantes no capital próprio dos exercícios findos em 30 de junho de 2022.

Os efeitos contábeis do acima exposto serão refletidos em novos projetos de demonstrações financeiras separadas e em novas demonstrações financeiras consolidadas a partir de 30 de junho de 2022, que serão analisadas e aprovadas em próxima reunião do Conselho de Administração, divulgada ao mercado de acordo com legislação aplicável e submetido à Assembleia Geral já convocada para 27 de dezembro de 2022.

\\*

Assim, o Conselho de Administração aprovou por unanimidade o comunicado de imprensa contendo as considerações sobre as demonstrações financeiras de 30 de junho de 2022 exigidas pela Consob nos termos do artigo 114.º, n.º 5, do TUF, que se encontra disponível no mecanismo de armazenamento autorizado “1Info” (www. .1info.it) e no site da Companhia (www.juventus.com), na seção “Relações com Investidores”.

Os administradores solicitaram ainda às estruturas internas da Empresa, nomeadamente no que diz respeito à atividade da Área Esportiva, que concluam as suas análises e procedam à implementação com a maior brevidade possível do processo já iniciado para continuar a implementar e melhorar os procedimentos internos e as medidas de controle para contribuir ao processo de fortalecimento das políticas contábeis relacionadas ao reconhecimento e mensuração dos ativos e transações da Empresa.

Diante de todo o exposto, com o objetivo de fortalecer a gestão da Empresa, o Conselho de Administração deliberou a nomeação do Sr. Maurizio Scanavino como Gerente Geral (“Direttore Generale”). O currículo do Sr. Scanavino está anexado a este comunicado de imprensa.

Além disso, os membros do Conselho de Administração, dada a centralidade e a relevância dos assuntos jurídicos e técnicos/contábeis pendentes, consideraram no melhor interesse da Empresa que a Juventus disponibilizasse um novo Conselho de Administração para tratar desses assuntos.

Para tanto, por proposta do Presidente Andrea Agnelli e para permitir que a decisão sobre a renovação do Conselho seja submetida à Assembleia Geral com a maior brevidade possível, todos os membros do Conselho de Administração presentes à assembleia declararam renunciar ao seu cargo.

Pelas mesmas razões, cada um dos três conselheiros com poderes (o Presidente do Conselho de Administração Andrea Agnelli, o Vice-Presidente Pavel Nedved e o Diretor Presidente Maurizio Arrivabene) considerou oportuno renunciar aos poderes que lhes foram conferidos. O Conselho de Administração, no entanto, solicitou a Maurizio Arrivabene a manutenção do cargo de CEO.

Em decorrência do exposto, a maioria dos Conselheiros em exercício cessou e, portanto, de acordo com a legislação aplicável e os Estatutos, o Conselho de Administração deve ser considerado extinto. O Conselho de Administração manterá as suas atividades em regime de prorrogação até à Assembleia Geral que for convocada para 18 de janeiro de 2023 para nomear o novo Conselho de Administração (com exceção da Administradora Daniela Marilungo, que renunciou por declaração separada; ver abaixo para mais informações).

A Juventus continuará a colaborar e cooperar com as Autoridades de fiscalização e indústria, sem prejuízo da defesa dos seus direitos em relação às impugnações levantadas contra as demonstrações financeiras da Empresa e comunicados de imprensa pelo Consob e pelo Ministério Público.

\\*
Observe, de acordo com o artigo IA.2.6.7 das Instruções que acompanham as regras dos mercados organizados e administrados pela Borsa Italiana S.p.A., que:

- Com referência à renúncia da Sra. Daniela Marilungo, ela ocupou o cargo de administradora não executiva e independente da Empresa, bem como membro do “Comitê de Controle e Risco” e do “Comitê ESG” da Juventus. A Sra. Marilungo justificou a sua demissão afirmando a impossibilidade de exercer o seu cargo com a devida serenidade e independência, devido, mas não limitado ao fato de se sentir que não tinha sido colocada em condições de “agir plenamente informada” perante questões inquestionavelmente complexas; o Conselho de Administração tomou nota dos comentários da Sra. Marilungo, sem estar de acordo com eles. No entanto, o Conselho de Administração agradece à Sra. Marilungo por seus sete anos na Juventus;

- Com base nas comunicações feitas à Empresa e ao público, nem a Sra. Marilungo nem os demais diretores detêm ações da Juventus, com exceção de Andrea Agnelli, que detém 96.711 ações da Juventus na presente data;

O Diretor Giorgio Tacchia foi nomeado membro do “Comitê de Controle e Riscos” em substituição a Daniela Marilungo. Com base nas comunicações recebidas pela Empresa, o Sr. Scanavino não possui ações da Juventus na presente data.

Curriculum Vitae de Maurizio Scanavino

Maurizio Scanavino, nascido em 1973, licenciou-se em Engenharia de Telecomunicações no Politécnico de Turim e exerceu a sua atividade profissional em vários setores (consultoria, automóvel e editorial), com experiências em Itália e no estrangeiro.

Após o início de sua carreira, primeiro na Accenture e depois no desenvolvimento de serviços digitais e de e-commerce, chegou em 2004 ao Grupo Fiat, participando do retorno da empresa sob a liderança de Sergio Marchionne como Diretor de Promoção da Marca, com responsabilidades de marketing e comunicação em relação às marcas Fiat, Alfa Romeo e Lancia.

Em 2007 ingressou no setor editorial do Grupo como diretor da área digital e de marketing da editora La Stampa, lidando em particular com o desenvolvimento de produtos e portfólio digital e, após três anos, tornou-se Gerente Geral da concessionária de publicidade Publikompass.

Em 2013, mudou-se para a Secolo XIX onde, como CEO, trabalhou na fusão com a La Stampa, transação que deu origem ao ITEDI, do qual Maurizio foi nomeado Gerente Geral. Em seguida, orientou o processo de integração do ITEDI com o Espresso Gruppo, que levou à criação do Grupo GEDI, um dos principais grupos editoriais da Europa.

Atualmente, ele atua como CEO e Gerente Geral do GEDI Gruppo Editoriale, onde está comprometido em consolidar a posição do Grupo como líder italiano em transformação digital no setor editorial, inclusive por meio de aquisições corporativas e investimentos direcionados.

Itens relacionados