SARRI OK SITO

Sarri: "Um jogo complicado nos aguarda em Gênova"

SHARE
Sarri: "Um jogo complicado nos aguarda em Gênova"
Sarri: "Um jogo complicado nos aguarda em Gênova"
Sarri: "Um jogo complicado nos aguarda em Gênova"

A Juventus está de volta ao campo no Estádio Marassi de Gênova nesta terça-feira para a rodada 29 da Serie A. Uma partida importante, que foi analisada por Maurizio Sarri no Allianz Stadium, em sua entrevista aos jornalistas convidados. "Jogar fora, em Gênova, é difícil para todos, nos jogos em casa nos últimos anos sempre se saíram bem. O jogo é complicado, assim como os jogos contra equipes que lutam contra o rebaixamento. Temos que estar cientes dessa dificuldade, e os jogadores sabem disso."

PREPARAÇÃO PARA A PARTIDA

"Ainda estamos na fase em que buscamos a nossa melhor condição física, e isso é válido para todas as equipes. Com o passar dos dias, o problema inverso surgirá com o acúmulo de jogos. Estamos mudando o gerenciamento da rotina pós-jogo, não temos a oportunidade de fazer exercícios intensos, é tudo uma questão de recarregar as energias e nos preparar para o próximo jogo. As cinco substituições são algo a ser tratado com cuidado, mas também é um novo e experiência estimulante.”

CONDIÇÃO DOS JOGADORES

bentancur

"No momento, não podemos dar ao luxo de alternar mais de dois ou três jogadores. No último jogo, tivemos três jogadores com menos de 23 anos e três goleiros no banco de reservas, não temos muitas variáveis. Espero ter alguns jogadores de volta na próxima semana para me dar mais opções. Higuain está melhor, só tenho uma incerteza sobre o tempo de jogo dele. Bentancur está crescendo muito rápido e ainda mais fortemente do que eu esperava. Ele adquiriu personalidade e convicção, está ganhando mais experiência, e Ramsey também está melhor, eu o vi mais animado na partida contra o Lecce do que contra o Bologna. Ainda não decidi se Buffon jogará amanhã, mas o dia do recorde chegará mais cedo ou mais tarde nesta temporada"

FATOR PORTÕES FECHADOS

"Os estádios vazios continuam sendo um fator pequeno, embora seja verdade que não há torcedores. Quem joga em casa, pode contar com pequenas certezas, há hábitos comuns que tranquilizam os jogadores.”